quinta-feira, agosto 09, 2018

IMAGINÁRiO #729

José de Matos-Cruz | 01 Julho 2019 | Edição Kafre | Ano XVI – Semanal – Fundado em 2004

PRONTUÁRiO

METAMORFOSES
Autor versátil e fulgurante, ao estilizar as potencialidades gráficas / narrativas da banda desenhada, em que evoluem - pelo signo erótico - a aliciante insurreição ficcional ou uma perversa sofisticação estética, Milo Manara revelou em 1999, como argumentista e ilustrador, A Metamorfose de Lucius / La Métamorphose de Lucius, subvertendo-se como artista da líbido… Ironia, exibicionismo - através de peripécias / experiências excitantes, sob uma vertigem obsessiva / exuberante - pontuam ou transgridem, além dos preconceitos e das convenções, este universo múltiplo, transfigurado, cujo herói - descendente de Plutarco - se dirige da Macedónia à Tessália, acabando por consumar todas as ambições luxuriantes, todos os impulsos fantasistas. Assim corporizando fábulas incríveis de mágicos e de feiticeiras, de horríveis mutações - mesmo que, depois de inúmeras peripécias e temáticas, tudo se dissolva nas ilusões mais efémeras e sumptuosas. Eis, pois, reincidências sediciosas ou dissolutas, entre visões de uma saga interminável - que se transferem, perturbantes, ao próprio olhar do leitor.
IMAG.3-13-52-64-132-140-147-221-305-365-501-548-590

CALENDÁRiO

13MAR-17JUN2018 - Em Lisboa, Casual Lounge Caffé apresenta Schiappa 2018 - exposição de pintura de Pedro Schiappa.

21MAR-16SET2018 - Em Lisboa, Museu Colecção Berardo expõe Linha, Forma e Cor - Obras da Colecção Berardo, sendo curadores Rita Lougares e Jorge André Catarino.

05MAI-23JUN2018 - Em Lisboa, Galeria 111 apresenta Azimute - exposição de pintura, vídeo e objectos de Pedro Vaz, sendo curador Sérgio Fazenda Rodrigues.

1930-14MAI2018 - Thomas Kennerly Wolfe, aliás Tom Wolfe: Escritor e jornalista americano, ficcionista e ensaísta, autor de A Fogueira das Vaidades (1987) - «Como campeão do esplendor estilístico, não tem rival no mundo ocidental» (Joseph Epstein). IMAG.120

18MAI-09SET2018 - Em Lisboa, Culturgest apresenta Michael Biberstein [1948-2013]: X - Uma Reprospectiva - exposição de pintura, sendo curador Delfim Sardo. IMAG.606

19MAI-17JUN2018 - No Centro Cultural de Cascais, Fundação D. Luís I apresenta, no ciclo OitoXOito, Reflexão - exposição de figurações e geometrias em composições abstractas de Jéssica Rosa.

26MAI-11NOV2018 - Em Vila Franca de Xira, Museu do Neo-Realismo apresenta Conflito e Unidade - exposição de João Ferro Martins, Mafalda Santos e Susana Gaudêncio, sendo curadoras Sandra Vieira Jürgens e Paula Loura Batista, e dando continuidade ao ciclo de arte contemporânea Cosmo/Política. IMAG.706

COMENTÁRiO

Lucram com a desordem os governos desacreditados, que, vivendo apenas de viver, tendo violado todas as leis, faltado a todos os deveres, perdido toda a estima pública, necessitam de romancear revoluções, que recomendem o zelo da administração pela estabilidade da paz, autorizem a perpetração de insídias contra o direito desarmado, e encubram, na confusão das ruas, a mão da polícia, que passa, executando os seus cálculos de eliminação homicida.
Ruy Barbosa
- Obras Completas
PARLATÓRiO

Como etnólogo, só posso constatar que o mundo contemporâneo perdeu a fé nos seus próprios valores. Sei que este não é, aliás, o nosso problema principal, mas todos sabemos que, no fim de contas, nenhuma civilização se pode desenvolver, se não possui valores aos quais se agarrar profundamente. Acredito, por sinal, que nenhuma civilização possa, sequer, manter-se na situação em que a nossa se encontra.
Claude Lévi-Strauss
(2003)
VISTORiA

Quem a Tem…

Não hei-de morrer sem saber
Qual a cor da liberdade.
Eu não posso senão ser
Desta terra em que nasci.

Embora ao mundo pertença
E sempre a verdade vença,
Qual será ser livre aqui,
Não hei-de morrer sem saber.
Trocaram tudo em maldade,
É quase um crime viver.

Mas embora escondam tudo
E me queiram cego e mudo,
Não hei-de morrer sem saber
Qual a cor da liberdade.
Jorge de Sena

MEMÓRiA

1908-01NOV2009 - Claude Lévi-Strauss: Antropólogo e filósofo francês - «A humanidade está constantemente às voltas com dois processos contraditórios: um tende a criar um sistema unificado, enquanto o outro visa manter ou restaurar a diversificação.» (Race et Histoire - 1952). IMAG.278-684

02NOV1919-1978 - Jorge Cândido de Sena, aliás Jorge de Sena: Escritor português, poeta e ficcionista, dramaturgo e ensaísta, professor universitário - «Nada me prende ou liga a uma baixeza tanta / quanto esse arroto de passadas glórias. / Amigos meus mais caros tenho nela, / saudosamente nela, mas amigos são / por serem meus amigos, e mais nada.» (A Portugal - excerto)  
IMAG.60-67-87-112-181-202-249-264-268-305-313-329-332-358-392-486-489-495-502-588-599-661-669-671-682-699-707-726

1922-02NOV2009 - José Luis López Vázquez de la Torre, aliás José Luís López Vázquez: Actor espanhol do cinema, do teatro e da televisão - «A sua filmografia pertence ao puro património espanhol, foi um dos maiores tragicómicos do nosso cinema.» (El País - 2009). IMAG.277-362

1933-03NOV2009 - Sheldon Dorf: Artista e coleccionador americano de banda desenhada, fundador do Comic-Con - «Era uma pessoa de uma generosidade extrema, inteiramente dedicado à fruição e à divulgação da arte dos quadradinhos, tendo-se esforçado por reunir os leitores e os criadores» (J.M. Mike Towry). IMAG.277-448

05NOV1849-1923 - Ruy Barbosa de Oliveira, aliás Ruy Barbosa: Escritor, filólogo, jurista e político brasileiro - «De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto.» (Discurso no Senado - 1914). IMAG.249-409

1903-05NOV1989 - Vladimir Samoylovych Horowitz, aliás Vladimir Horowitz: Pianista de origem ucraniana (ao tempo do Império Russo), naturalizado americano (1944) - «Há três espécies de pianistas: os pianistas judeus, os pianistas homossexuais e os maus pianistas». IMAG.661

06NOV1919-2004 - Sophia de Mello Breyner Andresen: Poetisa portuguesa, distinguida com o Prémio Camões (1999) - «Chamo-Te porque tudo está ainda no princípio / E suportar é o tempo mais comprido. // Peço-Te que venhas e me dês a liberdade, / Que um só de Teus olhares me purifique e acabe. // Há muitas coisas que não quero ver. // Peço-Te que sejas o presente. / Peço-Te que inundes tudo. / E que o Teu reino antes do tempo venha / E se derrame sobre a Terra / Em Primavera feroz precipitado.» (Princípio).  
IMAG.2-18-112-168-213-249-268-302-390-449-473-511-536-542-570-581-640-684

1857-06NOV1929 - Columbano Augusto Bordalo Pinheiro, aliás Columbano Bordallo Pinheiro: Pintor português - Era «misantropo, fechado em si, dado a análises exaustivas, a dissecações cruéis, teve apenas um grande amor - a pintura» (Diogo de Macedo). IMAG.155-197-301-482-635-695

1925-06NOV1999 - Luís José Teixeira da Fonseca, aliás Teixeira da Fonseca: Cineasta português, realizador e actor - «Inspiro-me numa sátira construtiva, de quem luta por uma vida melhor». IMAG.56-227-457

COMENTÁRiO

Columbano - Desenhar Para a Pintura
A prática do desenho para Columbano não constitui, de modo geral, prática autónoma. Pelo contrário, ela reafirma Columbano como pintor, como um artista que recorreu ao desenho quase exclusivamente como campo de ensaio para estudos de composição, de orquestração de luzes, de caracterização de pormenores anatómicos e de atitudes individuais de figuras que integram composições maiores. Se os desenhos registam as variações estilísticas ao longo deste período, muitas vezes acompanhando as transformações pictóricas, será na mudança de um género para outro que estas diferenças se tornam evidentes: do intimismo das cenas de interior pequeno-burguesas, que por vezes impregna os retratos, para o carácter mundano que perpassa em alguns estudos de figuras femininas; ou da vocação realista dos retratos, que oscilam entre a fidelidade naturalista e a vontade de caracterização psicológica, para o sentido dramático e teatral das pinturas de história. A este ritmo, assistimos a abordagens plásticas diferentes, que adoptam a espontaneidade da linha como condutora da composição ou a substituem pelo valor estrutural da luz, num tratamento apoiado na mancha ou em marcações de claro-escuro, até chegar à linearidade livre e solta dos estudos de composição para os grandes relatos de pintura de história e ciclos decorativos, cuja complexidade explica a abundância de estudos, com destaque para o tema camoniano, no geral, e para as pinturas decorativas do Museu Militar, em particular.
María Jesús Ávila

BREVIÁRiO

Dom Quixote edita Memórias Secretas de Mário Cláudio; a partir das personagens de banda desenhada Príncipe Valente, Bianca Castafiore (em Tintin) e Corto Maltese. IMAG.51-220-520-522-541-591-600-723-725
 

Sem comentários:

Enviar um comentário