terça-feira, novembro 21, 2017

IMAGINÁRiO #690

 José de Matos-Cruz | 08 Janeiro 2019 | Edição Kafre | Ano XVI – Semanal – Fundado em 2004

 PRONTUÁRiO

TRANSPARÊNCIAS
Espantar o espectador, surpreender a crítica, fascinando entre um e outra quem é sensível ao culto virtual do imaginário - eis um tremendo feitiço que Paul Verhoven desencadeia, com O Homem Transparente (2000). Tal desígnio parece sintomático, de quem se orienta por estímulos rituais da acção e do choque, perante um público cúmplice ou propício. Por outro lado, sem limitar-se aos alcances de circunstância, sugerindo a inspiração de romanescos vários… para, de imediato, suscitar uma perturbante subversão.
A primeira referência é, inevitavelmente, o clássico da literatura por H.G. Wells - O Homem Invisível, transferindo-se para a transposição fílmica de James Whale, em 1933, e mais distintas derivações. Porém, Paul Verhoven - a partir do argumento por Andrew W. Marlowe, também autor de Força Aérea 1 (1997 - Wolfgang Petersen) - orienta-se por outras influências e respectiva descodificação: mitos ou sagas de um imaginário popular, com repercussão grotesca e anacrónica sobre a actualidade em seus transes e precários comparsas.

CALENDÁRiO

06SET-14OUT2017 - Em Lisboa, Gabinete apresenta Pas de Deux - exposição de gravura de Ana Jotta. IMAG.236-292-461

08-24SET2017 - Em Algés, Galeria Palácio Ribamar apresenta Percursos Paralelos - exposição de pintura de Eduardo Santos Neves e Eduardo Teixeira. IMAG.674

08SET-03DEZ2017 - No Porto, Centro Português de Fotografia apresenta The Portuguese Prison Project - exposição de fotografia de Luís Barbosa e Peter M. Schulthess (Suíça).


1948-10SET2017 - Leonard Norman Wein, aliás Len Wein: Argumentista e editor americano de banda desenhada, co-autor de Wolverine e Swamp Thing / Monstro do Pântano - «A história dos comics modernos seria incrivelmente diferente, se não tivéssemos contado com as suas contribuições» (Chris Claremont - 2009). IMAG.341-475

15SET-31NOV2017 - Em Cascais, Fundação D. Luís I expõe, na Casa de Santa Maria, Diários Gráficos de Rui Paiva. IMAG.475

20SET-02DEZ2017 - Em Lisboa, Kunsthalle Lissabon apresenta Shit-Baby and the Crumpled Giraffe - instalação de Naufus Ramírez-Figueroa (Guatemala).

21SET-31DEZ2017 - Em Évora, Museu Nacional Frei Manuel do Cenáculo expõe Cantão e a Rota Marítima da Seda.

28SET-05NOV2017 - Em Lisboa, Museu do Oriente expõe O Mundo de Norio Fujishiro (Japão). 
 
PARLATÓRiO

Quando San Francisco foi lançada na primavera de 1967, o meu país vivia um caos. Além de sofrermos por assassinatos políticos, estávamos amargamente divididos pela escalada da Guerra do Vietname, e sangrando por actos internos de violência e ódio, muitos deles como reacção a pacíficos protestos e demonstrações pelos direitos civis. Mesmo quando tantos de nós já havíamos perdido as esperanças, quando o Verão do Amor já estava a transformar-se num Inverno de Desespero, a nossa música ajudou-nos a manter-nos vivos e levar-nos em frente num mundo que ainda tínhamos esperança de mudar. E ela ainda faz isso hoje…
Scott McKenzie

MEMÓRiA

08JAN1929-1990 - Michel Giacometti: Etnólogo francês nascido na Córsega e radicado em Portugal (1959), recolheu a tradição e a memória da música popular, por áreas e costumes, tendo lançado a Antologia da Música Regional Portuguesa (Arquivos Sonoros Portugueses) com Fernando Lopes-Graça. IMAG.538

10JAN1939-2012 - Scott Philip Blondheim, aliás Scott McKenzie: Cantor americano, intérprete de San Francisco (1967) - «…Fico espantado como, tantos anos depois, continua a evocar sonhos nos corações e a estimular emoções nos espíritos das pessoas em todo o mundo» (2002). IMAG.422

1926-11JAN1999 - Artur Bual: Artista plástico português, pintor, escultor e ceramista - «Autor de uma obra notável e cuja importância para as artes visuais nacionais está ainda longe de ser plenamente compreendida» (Carlos Cabral Nunes / Casa da Liberdade - Mário Cesariny / Direção Artística). IMAG.593

1932-11JAN2009 - Shigeo Fukuda: Escultor japonês, designer e artista gráfico - «Creio que, em design, é necessário haver trinta por cento de dignidade, vinte por cento de beleza e cinquenta por cento de absurdo». IMAG.235-357

12JAN1729-1797 - Edmund Burke: Filósofo e político anglo-irlandês - «Não se pode planear o futuro pelo passado». IMAG.618

1934-12JAN2009 - Claude Berel Langmann,  aliás Claude Berri: Cineasta francês, actor e produtor - «Não sei se posso aprender com o cinema, mas na pintura descubro mais todos os dias» (2003). IMAG.233-473

1882-14JAN1949 - Joaquín Turina Pérez, aliás Joaquín Turina: Compositor espanhol, maestro e pianista, distinguido com a Gran Cruz de Alfonso X el Sabio (1943) - «Em Paris, aperfeiçoei todos os estudos de composição, e depois, continuando a aplicar-me, passei a amar cada vez mais uma profissão em que sempre estamos a aprender». IMAG.647

15JAN1929-1968 - Martin Luther King Jr, aliás Martin Luther King: Activista americano, defensor dos direitos cívicos, distinguido com o Prémio Nobel da Paz (1964) - «Não poderemos estar satisfeitos, enquanto a mobilidade fundamental do Negro for passar de um gueto pequeno para um maior» (1963). IMAG.20-190-210-227-432-653

15JAN1939-2012 - Stephen Dwoskin: Realizador americano, de incidências experimental e documental, radicado em Londres (1964), autor do livro Film Is... (1975) - «O cinema é a minha linguagem, sem a linguagem fico silencioso e, no silêncio, deixo de existir». IMAG.423

22JAN1849-1912 - Johan August Strindberg, aliás August Strindberg: Ficcionista e ensaísta sueco - «Somos inocentes, mas responsáveis. Inocentes perante aquele que já não existe, responsáveis perante nós próprios e os nossos semelhantes». IMAG.288-370-615-635

BREVIÁRiO

Sistema Solar edita Histórias Aquáticas de Joseph Conrad (1857-1924); tradução e apresentação de Aníbal Fernandes.  
IMAG.157-224-243-303-418-477-564-571-637-651

Dom Quixote edita Para Aquela Que Está Sentada No Escuro à Minha Espera de António Lobo Antunes. IMAG.136-438-460-609-633

Tinta da China edita O Homem Fatal de Nelson Rodrigues (1912-1980); selecção e prefácio de Pedro Mexia. IMAG.304-383-659

A Esfera dos Livros edita João XXI [1205-1277] - O Papa Português de Armando Norte. IMAG.36-498-579-611

Relógio D’Água edita As Ilhas Gregas de Lawrence Durrell (1912-1990); tradução de Carlos Leite. IMAG.297-368

COMENTÁRiO

Shigeo Fukuda
Não é um comunicador conformado aos princípios da acessibilidade. Com raras excepções, a sua arte pretende mistificar.
Seymour Chwast (2005)

PARLATÓRiO

Claude Berri
A mais lendária figura do cinema francês.
Nicolas Sarkozy (2009)

VISTORiA

Família, tu és a morada de todos os vícios da sociedade; tu és a casa de repouso das mulheres que amam as suas asas, a prisão do pai de família e o inferno das crianças.
August Strindberg
- O Filho da Criada (excerto)


EXTRAORDINÁRiO

OS HUMANIMAIS - Folhetim Aperiódico

BUÇO COM LEITE MANCHA O COLETE – 6

Mestre brilhante, às vezes achava-se um outro. Como aluno, ensinava. Como professor, aprendia. Sub-reptício, em solenidades cultivava o anonimato, pois não queria que a imprensa o confundisse com um artista de seu nome, mas mais ilustre figura pública. Modesto, não se prestava com ele o tal exemplo da gralha que, para respeitar-se, precisava das penas de pavão.
Continua  

domingo, novembro 19, 2017

Imaginário-Médio: newsletters de Janeiro 2013

O blog Imaginário-Médio entra no décimo ano, previamente inédito online, com as newsletters #401, #402, #403 e #404, respectivas à data virtual de Janeiro de 2013, sendo os seus conteúdos recuperados doravante para consulta na websfera.


sexta-feira, novembro 17, 2017

IMAGINÁRiO-Extra: TRAÇOS & TONS – Exposição de DANIEL MAIA

Inaugurada em 13 Novembro, está patente na Bedeteca José de Matos-Cruz / Biblioteca Municipal de S. Domingos de Rana (Cascais), até ao próximo dia 16 de Dezembro, a exposição Traços & Tons – uma selecção de pranchas de banda desenhada e desenhos de Daniel Maia, em versão expandida e actualizada, a partir de uma mostra concebida e apresentada, entre Abril e Maio de 2015, no Ateneu Popular de Montijo.
Além de populares heróis da indústria de comics norte-americana, como Super-Homem, Wolverine, Batman, Deadpool, Mulher-Maravilha, Thor e Tartarugas Ninja, entre outros, figuram O Infante Portugal e a Aurora Boreal, criados por José de Matos-Cruz, e cujas recentes novidades editoriais O Infante Portugal em Universos Reunidos (Kafre/Arga Warga) e Aurora Boreal e O Princípio Infinito (Apenas Livros) estão à venda no local, bem como merchandising destas mesmas personagens.


IMAG.196-387- 416-430- 435-528- 538-563- 596-615- 673-678

quinta-feira, novembro 16, 2017

IMAGINÁRiO #689

  José de Matos-Cruz | 01 Janeiro 2019 | Edição Kafre | Ano XVI – Semanal – Fundado em 2004

 
PRONTUÁRiO

PRODÍGIOS
Numa incidência fulgurante, sensual, entre passado e fantástico, o realismo primitivo e a magia intemporal, expande-se a saga de O Mercenário - segundo a exploração plástica e narrativa de Vicente Segrelles, originalmente apresentada pela revista espanhola Cimoc, a partir de 1980.
Relatando as façanhas de um guerreiro a soldo, projectadas sobre a mística ou enfrentando o mal. Assim, O Fim do Mundo - quando, próximo do Ano 1000, uma nefasta conjugação astral suscita ansiedade ou pânico entre os habitantes do País das Nuvens. Inspirado pela bela Nan-Tay, o Mercenário acorre, então, ao apelo para acompanhar o Grande Lama, prior da Ordem da Cratera, numa extraordinária incursão… Mais uma missão para o valente Mercenário, deixando latente este prodigioso épico, em que o estilo pessoalíssimo de Segrelles - onírico e simbólico, numa perturbante mas violenta exaltação - transcende a óleo o talento do retratista, cujo herói - com a fisionomia do actor Giuliano Gemma - explora outros domínios para a banda desenhada. IMAG.505

CALENDÁRiO

08SET2017 - Em Lisboa, Palácio Nacional da Ajuda apresenta Joan Miró [1893-1983]: Materialidade e Metamorfose - exposição de pintura comissariada por Robert Lubar Messeri. IMAG.356-415-640

15SET2017-07JAN2018 - No Porto, Museu de Arte Contemporânea de Serralves apresenta D’Après Fibonacci e as Coisas Lá Fora - exposição de pintura de Jorge Pinheiro, sendo curador Pedro Cabrita Reis. IMAG.399

23SET-31DEZ2017 - Em Lisboa, Museu do Design e da Moda/MUDE expõe no Palácio dos Condes da Calheta, no âmbito da Capital Ibero-Americana de Cultura, Como Se Pronuncia Design Em Português: Brasil Hoje, sendo curador Frederico Duarte.

04OUT2017-12FEV2018 - Em Lisboa, Museu de Arte, Arquitectura e Tecnologia / MAAT apresenta Shadow Soundings - instalação de Bill Fontana (EUA) sobre a Ponte 25 de Abril (Lisboa).

13OUT-30DEZ2017 - Em Lisboa, Museu Nacional de Arte Contemporânea - Museu do Chiado apresenta A-Mão-de-Olhos-Azuis - exposição de pintura de Candido Portinari (1903-1962 - Brasil), sendo curadora Maria de Aires Silveira. IMAG.79-553

13OUT2017-15JAN2018 - Em Lisboa, Museu Calouste Gulbenkian expõe Ana Hatherly [1929-2015] e o Barroco - Num Jardim Feito de Tinta, sendo curadores Paulo Pires do Vale e Nuno Vassallo e Silva. IMAG.63-208-233-435-461-580-641

PARLATÓRiO

Pessoalmente, não me considero um artista, e sim - apenas - um operário que fabrica histórias aos quadradinhos.
Eduardo Teixeira Coelho

VISTORiA

Vila Real Alegre…

Vila Real é uma cidade generosa e fraterna. E, também, a cidade da ironia… Por ali não passa ninguém que, como os cavalos de raça, não traga na anca o sinete do escudo da cidade. Nunca vi cidade tão impertinentemente impiedosa para os nossos defeitos, para os marcar a fogo na individualidade de cada um que a vá servir.
João Pina de Morais
16DEZ1943 - Jornal de Notícias

MEMÓRiA

01JAN1899-1985 - João de Araújo Correia: Escritor português, médico e professor - «…O mestre de nós todos, que andamos há cinquenta anos a lavrar nesta ingrata e improba seara branca do papel almaço, e somos velhos, gloriosos ou ingloriosos, pouco importa; mestre dos que vieram no intermezo da arte literária com três dimensões para a arte literária sem gramática, sem sintaxe, sem bom senso, sem pés nem cabeça; e mestre para aqueles que terão de libertar-se da acrobacia insustentável e queiram construir obra séria e duradoura» (Aquilino Ribeiro). IMAG.349-544-556

01JAN1919-2010 - Jerome David Salinger, aliás J.D. Salinger: Escritor americano - «Sou o maior mentiroso do mundo. Se me dirijo até a esquina para comprar uma revista e alguém me pergunta qual o meu destino, sou capaz de dizer - vou à ópera». IMAG.288-534-636

1924-01JAN2009 - Edmund Anthony Cutlar Purdom, aliás Edmund Purdom: Actor britânico de teatro e cinema, intérprete de António e Cleópatra (William Shakespeare) na Broadway (1952), protagonista de O Egípcio (1954 - Michael Curtiz), encenador e realizador de Don’t Open ‘til Christmas (1984); em 1962, a MGM rescindiu contrato, sob a alegação de que o seu relacionamento com Linda Christian havia violado uma «cláusula moral»; radicado em Itália por 1964, dedicou-se a filmes de acção e sensação, e à dobragem para inglês. IMAG.231-442-495

04JAN1809-1852 - Louis Braille: Cidadão francês, inventor do sistema de leitura para cegos, conhecido por Método Braille (criado em 1821 e publicado em 1829) - «Nós não queremos ficar separados do mundo porque não podemos ver, e por isso temos de trabalhar e estudar para sermos iguais aos outros, para não sermos desprezados como ignorantes ou objectos de piedade. Farei tudo o que puder para ajudar a alcançar a dignidade através do conhecimento… O acesso à comunicação no seu sentido mais lato é o acesso ao conhecimento e este é de importância vital para nós, se não quisermos ser desprezados ou protegidos por normovisuais condescendentes. Não precisamos de piedade nem de que nos lembrem que somos vulneráveis. Queremos ser tratados como iguais, e é através da comunicação que podemos consegui-lo». IMAG.209-355

04JAN1839-1860 - Casimiro José Marques de Abreu, aliás Casimiro de Abreu: Poeta brasileiro - «Oh! Que saudades que tenho / da aurora da minha vida, / da minha infância querida / que os anos não trazem mais! / Que amor, que sonhos, que flores, / naquelas tardes fagueiras, / à sombra das bananeiras, / debaixo dos laranjais!» (Meus Oito Anos).

04JAN1899-1982 - Maria Emília Archer Eyrolles Baltasar Moreira, aliás Maria Archer: Escritora portuguesa - «Não conheço mesmo outra que à audácia dos temas e das ideias alie uma expressão tão enérgica e pessoal. O seu estilo respira força e solidez» (João Gaspar Simões - 1930).

04JAN1919-2005 - Eduardo Teixeira Coelho, ou (sob pseudónimo) Martin Sièvre: O mais prestigiado dos artistas portugueses de quadradinhos, distinguido com o Prémio Yellow Kid para o Melhor Ilustrador Estrangeiro, no Festival de Lucca (Itália, 1973), atribui - ao grafismo harmonioso e inimitável, ao estilo dinâmico e gracioso - o sortilégio, a nostalgia e a modernidade que distinguem os criadores primordiais. IMAG.28-31-41-43-85-117-129-132-209-328-372-568-578-607-617

1924-05JAN2009 - Martin Patterson Hingle, aliás Pat Hingle: Actor norte-americano - «Posso ser o condutor de um camião, um médico, um advogado, um juiz ou qualquer outra pessoa, seja qual for a profissão… O meu aspecto permite-me ter uma boa imagem, em qualquer meio ou profissão. É uma bênção, e tenho consciência disso». IMAG.232-475

06JAN1889-1953 - João Pina de Morais: Escritor, jornalista e político português - «As lutas do Douro são todas contra a ignorância que do Douro tem o país e da incompreensão da sua vida. O duriense agarra-se à defesa da sua região como a videira aos seus xistos, isto é, com desespero, porque sabem um e outra que morrem impiedosamente se lhe tirarem o pão». IMAG.304-404

VISTORiA

Desejo

Se eu soubesse que no mundo
Existia um coração,
Que só por mim palpitasse
De amor em terna expansão;
Do peito calara as mágoas,
Bem feliz eu era então!

Se essa mulher fosse linda
Como os anjos lindos são,
Se tivesse quinze anos,
Se fosse rosa em botão,
Se inda brincasse inocente
Descuidosa no gazão;

Se tivesse a tez morena,
Os olhos com expressão,
Negros, negros, que matassem,
Que morressem de paixão,
Impondo sempre tiranos
Um jugo de sedução;

Se as tranças fossem escuras,
Lá castanhas é que não,
E que caíssem formosas
Ao sopro da viração,
Sobre uns ombros torneados,
Em amável confusão;

Se a fronte pura e serena
Brilhasse d’inspiração,
Se o tronco fosse flexível
Como a rama do chorão,
Se tivesse os lábios rubros,
Pé pequeno e linda mão;

Se a voz fosse harmoniosa
Como d’harpa a vibração,
Suave como a da rola
Que geme na solidão,
Apaixonada e sentida
Como do bardo a canção;

E se o peito lhe ondulasse
Em suave ondulação,
Ocultando em brancas vestes
Na mais branda comoção
Tesouros de seios virgens,
Dois pomos de tentação;

E se essa mulher formosa
Que me aparece em visão,
Possuísse uma alma ardente,
Fosse de amor um vulcão;
Por ela tudo daria...
– A vida, o céu, a razão!
Casimiro de Abreu

BREVIÁRiO

Dom Quixote edita As Mentiras Que os Homens Contam de Luís Fernando Veríssimo. 
 

segunda-feira, novembro 13, 2017

IMAGINÁRiO-Extra – Masterclass VERVE DIGITAL

No próximo dia 18 de Novembro (10h30-16h30), decorrerá na Biblioteca Municipal de S. Domingos de Rana/Bedeteca José de Matos-Cruz, em Cascais, a masterclass de introdução à arte digital Verve Digital, realizada pelos autores Daniel Maia e Susana Resende, a qual será dirigida mais concretamente à produção de banda desenhada.

Esta masterclass perspectiva-se em dois blocos de 2h30, separados por 1h para almoço, tem entrada grátis e é acessível a maiores de 15 anos, porém limitada a 20 pessoas.
Para registar a sua participação, contacte: bsdr@cm-cascais.pt ou 214 815 403/404, ou aceda directamente ao formulário online.



Imaginário-Médio: newsletters de Dezembro 2012

Eis os newsletters #397, #398, #399 e #400, recuperados online no blogue Imaginário-Médio. Estes, alusivos à data virtual de Dezembro de 2012, ficam acessíveis nos respectivos links, e, com eles, ficam por disponibilizar online apenas mais 99 posts até ficar concluída a operação no blogue 'Médio...

quarta-feira, novembro 08, 2017

IMAGINÁRiO-Extra: Da Ideia ao Livro

Da Ideia ao Livro: Oficina performativa em torno da BD

Este sábado, na Bedeteca José de Matos-Cruz, incluída na Biblioteca Municipal de S. Domingos de Rana, terá lugar mais uma Oficina "Da Ideia ao Livro", pelas 15horas, coordenada por João Mascarenhas e Marc Parchow.

João Mascarenhas, autor de Banda Desenhada e criador d’O Menino Triste, e o seu editor, Marc Parchow, vão fazer um livro de banda desenhada desde a ideia até ao objecto final, incluindo o lançamento do livro, tudo bem acompanhado e de forma bem-disposta. Com a ajuda do público, a dupla vai esboçar e desenvolver uma ideia e, enquanto o João desenha o livro ao vivo, o Marc explica todos os passos do processo editorial, sendo depois o livro impresso na gráfica local e apresentado ao público no final da sessão.

Cada participante vai receber um exemplar desta edição única e um autógrafo personalizado.

Informações e inscrições 21 481 54 03/4 | bsdr@cm-cascais.pt

terça-feira, novembro 07, 2017

IMAGINÁRiO #688

 José de Matos-Cruz | 24 Dezembro 2018 | Edição Kafre | Ano XV – Semanal – Fundado em 2004

PRONTUÁRiO

EXTREMOS
Martin Scorsese sobressai numa geração de cineastas americanos cujo talento, modelado pela formação universitária e por um entranhado apelo dos clássicos, subverteria - sob o signo de Hollywood - as motivações tradicionais, quanto à realidade e ao imaginário. Trata-se de um autor cuja autenticidade motiva, além da nostalgia ou do fascínio, singulares virtualidades para a reformulação duma arte, em constante vertigem entre a indústria e o espectáculo.
Assim culmina Por Um Fio / Bringing Out the Dead (1999) - aliás, estímulo radical do olhar de um realizador que, encarando os filmes pela fruição - sensível, inteligente, contra as tendências convencionais de mistificação -, contrapõe sobretudo, ao artifício crítico, o signo da transfiguração - por vezes violenta, aleatória mas vibrátil - na qual se gera o culto... Também argumentista com Paul Schrader, Por Um Fio assinala o regresso de Scorsese à Nova Iorque onde nasceu, cresceu, se diplomou e dirigiu alguns dos seus maiores sucessos. A ligação entre Scorsese e Por Um Fio foi estabelecida por Barbara DeFina, a quem o co-produtor Scott Rudin convenceu que apenas ele poderia esmaltar, estilizando, a narrativa flagrante e fragmentária de Joe Connelly, em romance para o qual verteu a experiência durante nove anos, numa equipa de paramédicos cuja missão emergente, através das ruas selváticas da Big Apple, era assistir a toda a espécie de casos desesperados ou extremos.
IMAG.27-41-44-61-67-81-85-109-134-217-244-246-400-414-490-639-643-659

CALENDÁRiO

08SET-29OUT2017 - Em Odivelas, Centro Cultural Malaposta apresenta Mulheres de Tinta - exposição de pintura de Fernando Ferreira.

08SET-03DEZ2017 - Em Lisboa, Museu Nacional de Arte Contemporânea - Museu do Chiado apresenta Decadança - exposição de escultura e vídeo de João Leonardo.

01SET-31DEZ2017 - Em Lisboa, Museu Nacional do Azulejo apresenta Das Sombras de Quioto à Luz de Lisboa - exposição de azulejo de Haru Ishii (Japão).

08SET2017-01ABR2018 - Em Cascais, Casa Sommer expõe História(s) da Vela Em Cascais: Da Primeira Regata à Prata Olímpica (1871-1948); organização do Arquivo Histórico Municipal.

08SET-29OUT2017 - No Centro Cultural de Cascais, Fundação D. Luís I apresenta Convidados do Instante - exposição de desenho / pintura Lourenço Lomelino.

VISTORiA

Ao Coração

Ao coração que sofre, separado
Do teu, no exílio em que a chorar me vejo,
Não basta o afeto simples e sagrado
Com que das desventuras me protejo.

Não me basta saber que sou amado,
Nem só desejo o teu amor: desejo
Ter nos braços teu corpo delicado,
Ter na boca a doçura de teu beijo.

E as justas ambições que me consomem
Não me envergonham: pois maior baixeza
Não há que a terra pelo céu trocar;

E mais eleva o coração de um homem
Ser de homem sempre e, na maior pureza,
Ficar na terra e humanamente amar.
Olavo Bilac

VISTORiA

Um dia, em 1475, o Mar do Norte bruscamente retirou-se; o Zwyn de repente secou, sem que fosse alguma vez possível desassoreá-lo ou voltar a restabelecer uma circulação de água; e Bruges, de ali em diante afastada dessa vasta mama do mar que lhe tinha alimentado os filhos, começou a ficar anémica, e desde há quatro séculos agoniza. Como a cidade é comovente nesta tísica com séculos que a faz escarrar, atingida por um golpe mortal, uma a uma as suas pedras – como pulmões – e sobretudo comovente numa manhã de Novembro outonal, como esta, sob um céu de palidez parecida com a sua…
Georges Rodenbach
- Bruges-a-Morta (1892, excerto - Tradução de Aníbal Fernandes)

MEMÓRiA

1645-24DEZ1708 - Tomás Pereira, aliás Xu Risheng: Missionário jesuíta português, diplomata e inventor, matemático e músico, engenheiro e arquitecto, geógrafo e astrónomo, estudioso do budismo Chen e da língua chinesa, mandarim e professor de música ocidental do imperador Kangxi - Os seus escritos «permitem avançar no estudo científico e na divulgação desta figura nuclear nas relações luso-chinesas dos finais do Século XVII e inícios do Século XVIII» (Luís Filipe Barreto). IMAG.421-537

1927-24DEZ2008 - Samuel Phillips Huntington, aliás Samuel Huntington: Escritor e analista americano, especialista em ciência política - «A minha hipótese é que a fonte fundamental de conflitos neste novo mundo não será principalmente ideológica ou económica. As grandes divisões entre a humanidade e a fonte dominante de conflitos será cultural. Os Estados-nações continuarão a ser os actores mais poderosos no cenário mundial, mas os principais conflitos da política global ocorrerão entre países e grupos de diferentes civilizações. O choque de civilizações dominará a política global. As falhas geológicas entre civilizações serão as frentes de combate do futuro.» (Clash of Civilizations - 1993). IMAG.607

1855-25DEZ1898 - Georges Raymond Constantin Rodenbach, aliás Georges Rodenbach: Escritor belga de língua francesa, autor de Le Règne du Silence (1905) - «Os sonhos são as chaves para sairmos de nós próprios». IMAG.512-523

1914-25DEZ2008 - Edward D. Cartier, aliás Edd Cartier: Artista plástico, assistente de Norman Rockwell, desenhador de capas para imaginários de Robert A. Heinlein e Isaac Asimov, ou das aventuras de The Shadow / O Sombra por Walter B. Gibson, distinguido com o World Fantasy Lifetime Achievement Award (1992) - «Desde os meus tempos de jovem criador, apercebi-me das dificuldades em romper e ser reconhecido no mundo da ilustração». IMAG.231-243-451

27DEZ1888-1965 - Raffaele Attilio Amedeo Schipa, aliás Tito Schipa: Cantor lírico italiano - «…Tinha legiões de fãs, embora à primeira vista não possuísse as características geralmente associadas aos tenores de ópera.» (Great Opera Singers - Edmund St. Austell).

28DEZ1888-1931 - Friedrich-Wilhelm Murnau, aliás F.W. Murnau: Realizador alemão, com carreira em Hollywood - «De todas as grandes figuras do cinema germânico, Murnau foi a mais alemã. Era um homem da Vestefália, de aspecto tímido, severo consigo mesmo, grave com os demais e exigente com o seu trabalho. Áspero por fora, mas infantil e bondoso no seu íntimo» (Emil Jannings). IMAG.147-208-527

1865-28DEZ1918 - Olavo Brás Martins dos Guimarães Bilac, aliás Olavo Bilac: Poeta brasileiro - «Versos e amores sufoquei calando, / Sem os gozar numa explosão sincera… / Ah! Mais cem vidas! com que ardor quisera /Mais viver, mais penar e amar cantando!» (Remorso - excerto). IMAG.543

31DEZ1928-2012 - António Pardal Monteiro: Arquitecto português, pioneiro do modernismo, responsável pela concretização final do projecto da Biblioteca Nacional - «Ele foi uma presença sempre importante no ateliê, para dar conselhos e orientações» (João Pardal Monteiro). IMAG.435-503-634

1933-31DEZ2008 – Donald Edwin Westlake, aliás Donald Westlake: Escritor norte-americano, sob nome próprio e vários pseudónimos - «Sempre que as coisas parecem fáceis, é porque não lemos todas as instruções com a necessária atenção». IMAG.231-426

COMENTÁRiO

Tomás Pereira - Xu Risheng

A obra de Tomás Pereira / Xu Risheng tem um carácter paradoxal. No seu tempo ficou manuscrita em português e latim tendo, por isso, uma circulação restrita e limitada. Em língua chinesa, no entanto, surge impressa logo nos inícios do Século XVIII.
Luís Filipe Barreto

BREVIÁRiO

Relógio D’Agua edita O Egipto de Eça de Queiroz (1845-1900); prefácio de Maria Filomena Mónica.  
IMAG.14-19-52-60-90-101-148-165-178-199-203-205-214-275-287-313-342-394-434-470-483-532-540-554-593-609-618-621-629-673

Universal edita em CD, sob chancela Decca, Wolfgang Amadeus Mozart [1756-1791]: Piano Concertos Nºs. 17 & 25 por Mitsuko Uchida, que também dirige The Cleveland Orchestra. IMAG.36-55-68-90-102-106-118-172-186-205-216-217-220-227-277-284-285-290-317-321-342-349-375-406-431-449-475-500-503-534-547-589-597-640-666-667

Companhia das Letras edita Orfeu da Conceição de Vinicius de Moraes (1913-1980).  
IMAG.248-282-439

Elsinore edita A Guerra Não Tem Rosto de Mulher de Svetlana Alexievich/Aleksievitch; tradução de Galina Mitrakhovicc. IMAG.588-637
 

domingo, novembro 05, 2017

Imaginário-Médio: newsletters de Novembro 2012

Com as novidades editoriais da adaptação à banda desenhada d'O Infante Portugal e começo da série Aurora Boreal, lançados durante o 28º Amadora BD, os Imaginário-Médios alusivos à data virtual de Novembro 2012 demoraram mais uma semana a ser concluídos. Contudo, estão agora disponíveis os newsletters #393, #394, #395, #396 nestes links.


quinta-feira, novembro 02, 2017

IMAGINÁRiO #687

 José de Matos-Cruz | 16 Dezembro 2018 | Edição Kafre | Ano XV – Semanal – Fundado em 2004
 
PRONTUÁRiO

ACELERAS
Percorrem as estradas com um frémito de emoções, na vertigem da velocidade ou em rasgos acrobáticos, e… por vezes, sobressaltando os automobilistas mais parcimoniosos. Diferentes, excêntricos, cumplicia-os o culto, aproximam-nos os rituais. Entre o homem e a máquina, gera-se o fenómeno dos motards - que se manifesta em múltiplas áreas de afirmação, expressão, reivindicação e recriação. Entre estas, a banda desenhada tem uma relevância internacional - mesmo por cá, como Luís Pinto-Coelho revelou com As Odisseias de Um Motard (1992). Lá fora, é um clássico Joe Bar Team - iniciado em 1975, sendo autor Bar2, no Moto Journal francês, sobre as proezas e desventuras de vários aceleras. Em álbum desde 1990, eis os quatro parceiros originais, pela versão portuguesa: João Manias numa Norton 850 Commando, Eduardo Bielas numa Honda CB 750, João Enrola-o-Cabo numa Kawasaki 750 H2 e Guido Brasletti numa Ducati 900 SS. Entretanto, Bar2 - aliás, Christian Debarre, um fanático do Gaston Lagaffe por André Franquin - arrumou as duas rodas, e só voltou de passagem, cedendo as manettes a Fane/Stéphane Deteindre & Pierre-Yves Fournier, nesta sátira a todo o gás… IMAG.54-137

PARLATÓRiO

A partir de certa altura, comecei a acreditar em telepatia, espiritualismo, necromancia, leitura de mentes e todo o tipo de arte oculta.
Giacomo Puccini

Um escritor deve acreditar que o que está a fazer é o mais importante do mundo. E tem de apegar-se a essa ilusão, mesmo sabendo que não é verdade.
John Steinbeck

CALENDÁRiO

23JUN-16SET2017 - Em Lisboa, Galeria 3 + 1 expõe Tudo o Que É Profundo Ama a Máscara de Rita Ferreira e António Neves Nobre, sendo curadora Ana Cristina Cachola.


1926-20AGO2017 - Joseph Levitch, aliás Jerry Lewis: Artista americano, cineasta e produtor, argumentista, actor e cantor - «Quando realizo um filme, faço de pai; quando escrevo, faço de homem; quando represento, faço de idiota». IMAG.28-610

1943-26AGO2017 - William Tobe Hooper, aliás Tobe Hooper: Cineasta americano, produtor, argumentista e realizador de Massacre No Texas / The Texas Chainsaw Massacre (1974) - «Reflectindo o mal-estar de um tempo em que os efeitos dramáticos da guerra do Vietname eram transversais na sociedade americana, […] criou um verdadeiro conto assombrado sobre a decomposição dos valores tradicionais» (João Lopes). IMAG.64

15MAI1938-28AGO2017 - Mireille Aigroz, aliás Mireille Darc: Actriz francesa, intérprete de Fim de Semana / Week End (1967 - Jean-Luc Godard) - «Fui feliz, no cinema… mas não cresci» (2015). IMAG.498

31AGO2017 - Big Picture estreia Índice Médio de Felicidade (2017) de Joaquim Leitão; com Marco d’Almeida e Ana Maria Contente. IMAG.122-269-453-490-506

01-30SET2017 - Em Lisboa, Largo Café Estúdio apresenta Amor Em Mito - exposição de pintura de Daan Van Velsen (Holanda) e de poesia de Solange Pacífico.

08SET-03DEZ2017 - Em Lisboa, Torreão Nascente da Cordoaria Nacional expõe, no âmbito da Capital Ibero-Americana de Cultura, Turbulências - obras artísticas da Colecção la Caixa, com «uma visão da criação contemporânea como forma de pensamento sobre a sociedade» (Nimfa Bisbe Molin).

17SET2017 - Durante o Festival Internacional de Cultura de Cascais, a actriz britânica Vanessa Redgrave é homenageada pela Fundação D. Luís I, e distinguida como primeiro Membro Honorário estrangeiro da Academia Portuguesa de Cinema. IMAG.66-243-418

MEMÓRiA

16DEZ1928-1982 - Philip Kindred Dick, aliás Philip K. Dick: Escritor americano de ficção científica - «A realidade é algo que, mesmo quando nós deixamos de nela acreditar, continua a existir e não desaparece». IMAG.136-186-207-358-361-490-682

1902-20DEZ1968 - John Ernst Steinbeck Jr, aliás John Steinbeck: Escritor americano, distinguido com o Prémio Nobel da Literatura (1962) - «Pela espessura da camada de pó que cobre a lombada dos livros de uma biblioteca pública, será possível avaliar-se a cultura de um povo». IMAG.35-360-635-656-679

30JUL1818-19DEZ1848 - Emily Jane Brontë, aliás Emily Brontë: Escritora britânica, autora de O Monte dos Vendavais (1847) - «Não sei como exprimi-lo, mas todos temos a sensação de que existe, ou deveria existir, algo de nós para além do que somos». IMAG.30-189-298

22DEZ1858-1924 - Giacomo Antonio Domenico Michele Secondo Maria Puccini, aliás Giacomo Puccini: «Massenet concebeu a Manon como um francês, com minuetos e pó de arroz. Eu vou tratá-la como um italiano, com paixão desesperada… Por que não duas óperas? Uma mulher como Manon pode ter mais de um amante». IMAG.147-188-207-226-227-440-457-464-473-492-670

1922-23DEZ1998 - Jorge Ricardo da Conceição Vieira, aliás Jorge Vieira: Artista plástico português, escultor, desenhador e professor - «Tanto aquelas peças que estão presas às duas dimensões como as que, quase todas, ganham valor escultórico, incluindo aquelas que há muito vemos nas ruas, preenchem o nosso quotidiano e já pertencem às imagens-memória de todos» (Francisco Silva Dias). IMAG.623

BREVIÁRiO

Tinta da China edita Obra Completa de Ricardo Reis de Fernando Pessoa (1888-1935); organização de Jerónimo Pizarro e Jorge Uribe. IMAG. 26-28-64-82-130-131-157-182-187-196-207-211-236-264-323-326-330-333-343-347-376-382-384-385-395-399-403-404-417-426-433-450-460-467-491-507-509-524-540-551-556-561-576-593-596-604-605-612-613-617-622-632-638-640-645-662-663

E-Primatur edita Avelina - Criada Para Todo o Çerviço de José Vilhena (1927-2015). IMAG. 19-149-587-617

Dom Quixote edita Tonio Kröger de Thomas Mann (1875-1955); tradução de Cláudia Gonçalves. IMAG.173-233-261-517-528-559-593-605

VISTORiA

[Heathcliff:] E eu rezo uma oração – hei-de repeti-la, até que a minha língua se entorpeça… Catarina Earnshaw, possas tu não encontrar sossego, enquanto eu tiver vida! Dizes que te matei, persegue-me então! A vítima persegue os seus matadores, creio eu. Sei que fantasmas têm vagueado pela terra. Fica sempre comigo – encarna-te em qualquer forma… Torna-me louco! Só não quero que me deixes neste abismo, onde não te posso encontrar! Oh, Deus!, é inexprimível! Não posso viver sem a minha vida! Não posso viver sem a minha alma!
Emily Brontë
- O Monte dos Vendavais (excerto)

Um lance sobre o futuro… Tal acontece, sempre que, sobre ele, estendemos o nosso olhar. Então, ele modifica-se, apenas porque nós o observamos. E, assim, todo o resto também se altera.
Philip K. Dick
- O Vidente (excerto)

Ele tinha dito: «Eu sou um homem», e isso queria dizer certas coisas, para Juana. Queria dizer que ele era meio louco e meio Deus. Queria dizer que Kino seria capaz de exercer a sua força contra uma montanha e de mergulhar a sua força contra o mar. Juana, na sua alma de mulher, sabia que a montanha continuaria de pé, enquanto o homem ficaria desfeito; que o mar continuaria a erguer-se tempestuoso, enquanto o homem se afogaria nele. Todavia, era isso que fazia dele um homem, meio louco e meio Deus, e Juana necessitava de um homem, não podia viver sem um homem. Embora a desorientassem estas diferenças entre homem e mulher, conhecia-as e aceitava-as e precisava delas. Evidentemente, ela segui-lo-ia, isso não estava em causa. Por vezes, as suas características de mulher, a razão, a cautela, o instinto de conservação, conseguiam penetrar na virilidade de Kino e salvá-los a todos.
John Steinbeck
- A Pérola (excerto)
INVENTÁRiO

O FENÓMENO

Um aglomerado residencial da periferia, algures nos Estados Unidos. Uma região verdejante, rodeada de montanhas. Zona modelo de vivendas. Os miúdos distraem-se com perversas tropelias electrónicas. Os adultos entretêm-se com o programa desportivo na televisão… É desse mesmo aparelho, ainda aberto apesar do fecho da emissão, que se desprenderá a sedução do sobrenatural - já não como um bafo fétido ou um som paralisante, segundo as crenças ancestrais e as narrativas populares, mas através duma luz intensa e perturbadora, que salta do pequeno ecrã. Eis Poltergeist - O Fenómeno (1982) - com argumento e produção de Steven Spielberg, e dirigido por Tobe Hooper.
O Fenómeno funciona como uma alegoria sobre os malefícios da televisão, e não é impunemente que alguns actores principais (logo o protagonista, Craig T. Nelson) são figuras conhecidas em séries e programas dessa avassaladora janela do mundo. Porém, mais que um alerta, Poltergeist insinua uma iniciação - a que as crianças são, afinal, mais propícias. E uma delas não resiste ao apelo dos fantasmas cintilantes - tal como nós somos atraídos pelo sortilégio das luzes e das trevas, que consagra a volúvel substância do cinema. Aliás, tal Fenómeno pressupõe, em si, um inquietante dilema: se a alma dos filmes, o seu elã, é aparentemente imortal - salvaguardada a fragilidade do suporte físico, e assegurado o exorcismo mágico da projecção - como se explica, então, que cada acção representada em termos dramáticos, no espectáculo, pressuponha a inevitabilidade de um epílogo?