sexta-feira, fevereiro 17, 2017

IMAGINÁRiO #650

José de Matos-Cruz | 8 Março 2018 | Edição Kafre | Ano XV – Semanal – Fundado em 2004

PRONTUÁRiO

AVENTURAS
Mitificados pela própria lenda de Hollywood, muitos filmes americanos, consagrados entre clássicos e obras-primas, transferem-se para além da sua história, ou do específico enquadramento em que surgiram, eles mesmos testemunhos de um espectáculo tão virtual como o cinema e seus modelos de produção. Céu Aberto (1952) é exemplar de tal fenómeno, realizado por Howard Hawks com a chancela RKO, através da sua Winchester Productions. Em 1938, Hawks dirigira As Duas Feras para aquela companhia, então uma das três majors de Hollywood, e entretanto em crise, passando a ser gerida por Howard Hughes. Pretendendo revitalizá-la, este desafiou Hawks - um nome prestigiado e de sucesso popular - a concretizar um segundo western, após o tão apreciado Rio Vermelho (1948). E Hawks não resistiu ao repto do seu velho amigo, que lhe dava finalmente ensejo de constituir um «fresco original», adaptando o épico The Big Sky do eminente escritor A.B. Guthrie Jr. A árdua tarefa, que aliás se deteve pelos primeiros trechos romanescos, foi confiada ao talentoso Dudley Nichols, que assinou argumentos tão notáveis como Cavalgada Heróica (1939) de John Ford, entre as décadas áureas de ’30 e ’50. IMAG.27-160-274-377-381-449-578-613

CALENDÁRiO

09NOV2016-13FEV2017 - Em Lisboa, Museu de Arte, Arquitectura e Tecnologia / MAAT apresenta Misquoteros - A Selection of T-Shirts Fronts - exposição de pintura de Eduardo Batarda, sendo comissários Ana Anacleto e João Fernandes. IMAG.146-388-515-625-641

25NOV2016-22JAN2017 - Em Lisboa, Fundação Arpad Szènes-Vieira da Silva expõe Desenhos Têxteis de Filipe Rocha da Silva. IMAG.235

VISTORiA

O Sol É Grande

O sol é grande: caem coa calma as aves,
Do tempo em tal sazão, que sói ser fria.
Esta água que de alto cai acordar-me-ia,
Do sono não, mas de cuidados graves.

Ó cousas, todas vãs, todas mudaves,
Qual é tal coração que em vós confia?
Passam os tempos, vai dia trás dia,
Incertos muito mais que ao vento as naves.

Eu vira já aqui sombras, vira flores,
Vi tantas águas, vi tanta verdura,
As aves todas cantavam de amores.

Tudo é seco e mudo; e, de mistura,
Também mudando-me eu fiz doutras cores.
E tudo o mais renova: isto é sem cura!
Francisco de Sá de Miranda
- As Obras do Celebrado Lusitano

A Redenção

A divina emoção que tu me deste,
Já m’a deu uma árvore ao poente…
Não é só teu encanto que te veste:
A seiva e o sangue rezam irmãmente.

Às vezes nuvens, mares, areais,
Dão-me mais sonho do que os olhos teus…
É como se eles fossem meus iguais,
Tendo nós todos fé no mesmo Deus…

Não será isto o instinto, a profecia,
De que desfeitos e transfigurados
Viveremos num só, numa harmonia?…

Sim, deve ser: amor, sonho, emoção,
São esforços febris d’encarcerados
Para quem a Unidade é a redenção.
António Patrício
VISTORiA

De manhãzinha, vou por acaso à parte sul da casa. E olhem! Não querem lá ver! Ali está ele deitado na cama, quase vestido, a dormir. Muito pálido. A que horas teria entrado?
Victor Segalen
- A Cidade Proibida


MEMÓRiA

07MAR1878-1930 - António Pires Patrício, aliás António Patrício: Escritor e diplomata português - «Viver é ter ainda uma quimera erguida / Ou um sonho febril a soluçar de rastos; / É beijar toda a dor humana, toda a Vida, / Como eu beijo a chorar os teus cabelos castos…». IMAG.172-277-488-592

10MAR1768-1837 - Domingos António Sequeira, aliás Domingos Sequeira: Artista plástico português - «Um visionário que prolonga a sua arte para lá dos limites da ortodoxia académica, bem como da pura visualidade» (José Luís Porfírio). IMAG.496-513-602

10MAR1928-2013 - María Antonia Alejandra Vicenta Elpidia Isidora Abad Fernández, aliás Sara Montiel: Cantora e actriz espanhola - «Todos os homens que amei, pareciam-se incrivelmente com o meu pai». IMAG.460

12MAR1928-2016 - Edward Franklin Albee III, aliás Edward Albee: Dramaturgo americano, autor de Equilíbrio Instável (1966) - «O trabalho do escritor é segurar o espelho para as pessoas se verem» (2004). IMAG.302-639

13MAR1888-1976 - Paul Émile Charles Ferdinand Morand, aliás Paul Morand: Escritor francês, ficcionista e poeta - «Viajar é a maneira mais agradável, menos prática e mais custosa de instruir-se». IMAG.571

14[JAN]MAR1878-1919 - Victor Joseph Ambroise Désiré Segalen, aliás Victor Segalen: Escritor, etnógrafo, arqueólogo e explorador francês - «De longe, de tão longe, venho para junto de ti, amigo, o mais querido. Os meus passos anularam a horrível distância que existia entre nós». IMAG.136-162

1481-15MAR1558 - Francisco de Sá de Miranda: Escritor português, poeta e dramaturgo - «Homem de um só parecer, / dum só rosto e duma fé, / d’antes quebrar que volver / outra cousa pode ser, / mas de corte homem não é.» (Carta a El-Rei D. João III).IMAG.176-244-336

15MAR1738-1794 - Cesare Bonesana, Marquês de Beccaria: Jurista, filósofo, economista e literato italiano - «É melhor prevenir os crimes do que puni-los depois». IMAG.492

TRAJECTÓRiA

Escritor e diplomata português, natural do Porto. Frequentou a Escola Naval, acabando no entanto por se formar em Medicina, em 1908. Proclamada a República, foi cônsul na Corunha, em Cantão, Manaus, Bremen e outras cidades, vindo a falecer pouco depois de nomeado ministro de Portugal em Pequim.
Como escritor, convergem em António Patrício tendências simbolistas, decadentistas e saudosistas, a que se alia a influência do niilismo de Nietzsche, nomeadamente na recusa de uma finalidade da vida exterior à própria vida. Esta concepção, alheia à metafísica, conjuga-se com um certo panteísmo, na vivência de cada momento perante a omnipresença da morte (a obsessão dos corpos cadavéricos, por exemplo), numa intensa espiritualidade que se manifesta em motivos como a saudade e as contradições e dualismos do homem (finitude e infinitude, carne e espírito, insaciabilidade do donjuanismo), na ânsia nostálgica de absoluto, por exemplo, no amor. Esta tensão trágica é servida por uma escrita de profunda sensibilidade e ritmo poético, numa linguagem de forte carga musical e imagística que o aproxima do simbolismo.
Colaborador das revistas Águia e Atlântida, escreveu os livros de poemas Oceano (1905) e Poesias (1942, edição póstuma), tendo ainda sido editada a sua Poesia Completa (1980). Publicou um livro de contos, Serão Inquieto (1910). É também autor das peças de teatro O Fim (1909), Pedro, o Cru (1918), Dinis e Isabel (1919) e D. João e a Máscara (1924, o ponto alto da sua carreira, que toma como personagem principal o célebre D. Juan), e ainda dos contos de Serão Inquieto (1910). Deixou várias obras inéditas.

BREVIÁRiO

No âmbito do projecto ClimAdaPT.Local, é editado o álbum Reportagem Especial - Adaptação às Alterações Climáticas Em Portugal de Bruno Pinto (argumento), Penim Loureiro (desenho) e Quico Nogueira (cor). IMAG.361-374-534-563-577

VGM edita em CD, sob chancela Alia Vox, Les Éléments: Tempêtes, Orages & Fêtes Marines por Le Concert des Nations, com Jordi Savall. IMAG.263-296-304-334-344-360-382-403-408-412-434-436-460-470-514-522

Lápis de Memórias edita Águas Negras de José Viale Moutinho. IMAG.23-80-101-201-293

Antígona edita Cartas a Um Jovem Poeta de Rainer Maria Rilke (1875-1926); tradução de José Miranda Justo. IMAG.102-112-541-592

Sony edita em CD, sob chancela Columbia/Legacy, The Wall de Roger Waters. IMAG.252
INCM/Imprensa Nacional - Casa da Moeda edita História de Menina e Moça de Bernardim Ribeiro (1500?-1545?); organização de Marta Marecos Duarte. IMAG.61-337-508 
 

quarta-feira, fevereiro 15, 2017

IMAGINÁRiO #649

José de Matos-Cruz | 1 Março 2018 | Edição Kafre | Ano XV – Semanal – Fundado em 2004

PRONTUÁRiO

(DES)CONSTRUÇÕES
Configurando distintas propostas e alternativas, para o nosso panorama em quadradinhos de expressão independente, a editora Nova Comix lançou A Canção do Viajante (2000) - a história de um homem que busca um caminho para a vida, em rotura com as referências da realidade e das outras pessoas. Um estranho projecto criativo e testemunhador, narrado em várias línguas - francês, inglês, espanhol, alemão - sendo autor Jacques Creswell (heterónimo de Horácio Gomes), um artista natural de Paris e com um curso de pintura tirado em Bruxelas. Vivendo em Portugal desde 1998, reparte-se entre o pai em Coimbra e a mãe em Manchester; ainda em 2000, participou no Zalão de Danda Besenhada, da Galeria Zé dos Bois em Lisboa. Creswell atribui uma eficaz correspondência, entre o traço rude e a trama cáustica, estigmatizando uma vivência de conflitos e tormentos de que o futuro será, afinal, o mais perturbador enigma. Assim ressalta na rubrica Universo de Autor com que a Nova Comix - sendo responsável Horácio Gomes - desvenda os seus artistas, em abordagem e entrevista de parceria com Edgar Jorge Queimadas. A propósito, Creswell repara que «todas as culturas estão a ser desconstruídas e anuladas, e por conseguinte, também a identificação do indivíduo está sujeita à pressão das reformulações necessárias daí consequentes, para se atingir uma nova identidade pessoal».

VISTORiA

Post Scriptum

Eu, Antonin Artaud, sou o meu filho,
o meu pai,
a minha mãe,
e eu mesmo.
Eu represento Antonin Artaud!
Estou sempre morto.

Mas um vivo morto,
um morto vivo.
Sou um morto
sempre vivo.
A tragédia em cena já não me basta.
Quero transportá-la para minha vida.

Eu represento totalmente a minha vida.

Onde as pessoas procuram criar
obras de arte, eu pretendo
mostrar o meu espírito.
Não concebo uma obra de arte
dissociada da vida.

Eu, o senhor Antonin Artaud,
nascido em Marselha
no dia 4 de Setembro de 1896,
eu sou Satã e eu sou Deus,
e pouco me importa a Virgem Maria.
Antonin Artaud
- Para Acabar Com o Julgamento de Deus (excerto)

Humana Condição

Um sonhar-me distante, um longe incrível
É agora o meu estado: Eu sonho o Espaço
Que se fixa no mundo ao invisível
Como se o mundo andasse por meu braço,

Existo além: Sou o animal temível
De Jesus com o mundo-Deus na mão.
Sou para além do mundo concebível
Onde morre e começa a criação.

Eu, homem, sondo e meço o Infinito;
Sou corpo e espírito, esse corpo oculto,
E é só na mão de Deus que ressuscito.

E chamam a isto humana condição…
Um nada, e tudo: – Vivo e me sepulto
Dentro e fora do próprio coração.
Afonso Duarte
- Ossadas (1947)
MEMÓRiA

01MAR1928-2016 - Jacques Rivette: Cineasta francês, realizador de O Amor Louco / L’Amour Fou (1969) - «Foi sempre um genuíno experimentalista, interrogando as fronteiras narrativas e existenciais do próprio cinema» (João Lopes). IMAG.197-603

02MAR1898-1990 - Amélia Schmidt Lafourcade Rey Colaço Robles Monteiro, aliás Amélia Rey Colaço: Actriz e encenadora portuguesa, casada em 1920 com o actor Robles Monteiro (1888-1958), tendo formado a Companhia Rey Colaço-Robles Monteiro (1921-1974) - «Emocionava-se com os grandes textos, adorava os clássicos e fazia tudo isso, contra tudo e contra todos, por esta simples razão: acreditava que o teatro é fascínio» (José Mendes). IMAG.107-169-194-307-328-339-400-434-534-635

04MAR1678-1741 - Antonio Lucio Vivaldi, aliás Antonio Vivaldi: Compositor e músico italiano, ligado ao barroco tardio, autor de As Quatro Estações - «Foi um autor de uma genial obra musical muito vasta, tendo composto centenas de concertos e dezenas de óperas, sinfonias, serenatas, cantatas, sonatas… Assim, conseguiu criar em grande quantidade e em qualidade» (Nuno Sotto Mayor Ferrão). IMAG.169-205-209-254-265-284-294-332-408-426-520

1896-04MAR1948 - Antoine Marie Joseph Artaud, aliás Antonin Artaud: Poeta, dramaturgo, encenador e actor francês - «Exprimir objectivamente verdades secretas… Uma linguagem mais concreta que a utilizada para falar da esfera psicológica: mudar a finalidade da palavra no teatro, é servir-se dela num sentido concreto e espacial, combinando-a com tudo o que o teatro contém de espacial e de significação concreta; é manipulá-la como objecto sólido, capaz de abalar as coisas inicialmente no ar, e em seguida num domínio mais misterioso e mais secreto» (O Teatro e O Seu Duplo). IMA G.32-97-173-179-212-577

1884-05MAR1958 - Joaquim Afonso Fernandes Duarte, aliás Afonso Duarte: Poeta português - «Erros meus a que chamarei virtude, / Por bem vos quero, e morro despedido / Sem amor, sem saúde, o chão perdido, / Erros meus a que chamarei virtude. // A terra cultivei, amargo e rude, / No sonho de melhor a ter servido; / Para ilusão de um palmo de comprido, / A terra cultivei, amargo e rude. // E o amor? A saúde? Eis os dois Lagos / Onde os olhos me ficam debruçados / – Azul e roxo, rasos de água os Lagos. // Mas direis, erros meus, ainda amores? / – São bonitos os dias acabados / Quando ao poente o Sol desfolha flores.» (Sibila - 1950). IMAG.188-251-449

1870-06MAR1958 - Óscar Courrège da Silva Araújo, aliás Óscar da Silva: Compositor e pianista português, autor de Sonata Saudades e Páginas Portuguesas - «As suas composições musicais patenteiam a centralidade que concedeu ao piano, sendo reveladoras de timbres líricos ligados à corrente Romântica e pontualmente algumas das suas obras denotam influências da corrente Impressionista» (Nuno Sotto Mayor Ferrão). IMAG.376

CALENDÁRiO

24SET-11DEZ2016 - Em Lisboa, Pavilhão Branco da Galeria Municipal apresenta Os Pirómanos - exposição de pintura de Rui Moreira, sendo curadores João Mourão e Nuno Faria.

14OUT2016-15JAN2017 - Em Santo Tirso, Museu Internacional de Escultura Contemporânea expõe Escultura Íntima de Miquel Navarro (Espanha). IMAG.261

30OUT2016-23JAN2017 - Arquivo Municipal de Lisboa expõe Visão de Um Fotógrafo Contemporâneo de José Luís Neto. IMAG.360-393-458

1934-07NOV2016 - Leonard Norman Cohen, aliás Leonard Cohen: Artista canadense, poeta, compositor e cantor - «Durante seis décadas, revelou a sua alma ao mundo através da poesia e das canções - com uma profunda e intemporal humanidade, tocando o nosso íntimo… A sua música e as suas palavras ressoarão para sempre» (Rock & Roll Hall of Fame - 2008).
 IMAG.12-64-123-253-292-338-350-395

10NOV2016 - NOS Audiovisuais estreia Saca - O Filme de Tiago Pires de Julio Adler; com Kelly Slater e Mick Fanning.

11NOV2016-05FEV2017 - No Centro Cultural de Cascais, Fundação D. Luís I expõe Rosáceas de Manuela Castro Martins.

BREVIÁRiO

Sony edita em CD, sob chancela Columbia, You Want It Darker de Leonard Cohen.
Harmonia Mundi edita em CD, Henri Dutilleux [1916-2013]: Tout Un Monde Lointain por Emmanuelle Bertrand, com Luzerner Sinfonieorchester sob a direcção de James Gaffigan. IMAG.349-421-466-547 
 

segunda-feira, fevereiro 13, 2017

IMAGINÁRiO #648

José de Matos-Cruz | 24 Fevereiro 2018 | Edição Kafre | Ano XV – Semanal – Fundado em 2004

PRONTUÁRiO

ORIGINALIDADES
«A arte de fazer o público rir não é coisa simples… Mas quando, além disso, se pretende levar os outros a pensar, então só um inteligente pode interpretar um idiota!» Eis palavras de Groucho Marx, a certo passo da Autobiografia. E, em suas deambulações pela memória, o extraordinário cómico admitia que se tornou difícil continuar original, sobretudo nas piadas. Tal como, durante o período áureo dos anos ’20 e ’30 do Século XX, não era mais fácil ser natural, num género cinematográfico que então nascia… Por essa altura, e dirigidos por William A. Seiter, os Irmãos Marx protagonizavam Um Criado ao Seu Dispor (1938), um dos grandes marcos da comédia clássica de Hollywood. E, curiosamente, trata-se do único filme que não foi propositadamente escrito para eles - baseando-se antes no vaudeville de John Murray & Allen Boretz, Room Service, estreado na Broadway em 1937. Os responsáveis pela RKO decidiram explorar o seu enorme sucesso numa fita com os Irmãos Marx, que à época estavam contratados pela MGM. Eles aceitaram, devendo a adaptação ser feita pelo seu habitual argumentista, Morrie Ryskind, que teve que inventar uma outra personagem para ser representada pelo mano Harpo. IMAG.24-136-293-622

CALENDÁRiO

08OUT2016-16ABR2017 - Em Elvas, Museu de Arte Contemporânea apresenta Crystal Clear - exposição de fotografia de Augusto Alves da Silva, sendo curador Carlos Vargas.

28OUT2016-08JAN2017 - Em Lisboa, Culturgest expõe Lourdes Castro - Os Meus Álbuns de Família Um a Um, sendo curador Miguel Wandschneider. IMAG.42-63-294-392-461-469-486-569-578

29OUT2016-30ABR2017 - Em Sintra, Palácio da Pena apresenta Fernando Coburgo Fecit | A Actividade Artística do Rei-Consorte - exposição comemorativa do bicentenário do nascimento de el-rei D. Fernando II (1816-1885), sendo curador Hugo Xavier. IMAG.132

1933-01NOV2016 - Carlos Alberto Santos: Artista plástico português, pintor e ilustrador, autor de banda desenhada - «…Um extraordinário vulto das artes gráficas e plásticas portuguesas dos últimos 60 anos e […] um homem de gentileza ímpar, [com um] percurso, breve mas igualmente extraordinário, como banda desenhista» (Jorge Magalhães - in O Gato Alfarrabista). IMAG.149-256-487-624

1930-02NOV2016 - Oleg Konstantinovich Popov, aliás Oleg Popov: Artista de circo russo, conhecido por palhaço-sol - «Cada uma de suas actuações era uma festa» (Vladimir Medinski).

03NOV2016 - Laranja Azul produziu, e estreia A Toca do Lobo (2015) de Catarina Mourão; sobre Tomaz de Figueiredo (1902-1970). IMAG.272-432

19NOV2016 - Em Cascais, Bedeteca José de Matos-Cruz / Biblioteca Municipal de S. Domingos de Rana leva a efeito a 2.ª sessão das Conversa(s) Sobre Banda Desenhada, sendo convidado José Garcês.
IMAG.24-70-78-117-129-149-226-251-256-258-265-321-361-374-416-430-598-627-Extra

12JAN-26FEV2017 - Em Lisboa, Museu Nacional de Arte Contemporânea - Museu do Chiado apresenta Amadeo de Souza-Cardoso 2016-1916 - sendo comissárias Raquel Henriques da Silva e Marta Soares, recriando a exposição do artista (1887-1918) no Jardim Passos Manuel (Porto - 1916).  
IMAG.84-149-154-185-258-279-434-476-510-561-583-634-647

EPISTOLÁRiO

Não existem detalhes biográficos. Balthus é um pintor de quem nada se sabe. Portanto, há que ver os seus quadros…
Balthus
(Telegrama à Tate Gallery – 1968)

COMENTÁRiO
O tema de Um Criado ao Seu Dispor (1938 - William A. Seiter) não poderia ser mais a propósito! Tendo em montagem a peça Olá Adeus!, cujo êxito certo o estimula, apesar de não ter dinheiro, o empresário Gordon Miller hospeda-se no White Way Hotel, de que é gerente o seu cunhado Joseph Gribble, e onde já estão o encenador Harry Binelli, o dito contabilista Faker Englund, os vários actores e candidatos a tal, além de um suposto médico. Tudo se agrava com a chegada do autor, Leo Davis, também ele falido, que saiu de casa e sonha mesmo com os aplausos do público. Gribble exige o pagamento de 1200 dólares, ou expulsará todos, mas simulam-se doenças e mortes, além de desesperados pretextos e estratagemas, para aguentar a situação até à hora da estreia…
Um Criado ao Seu Dispor é o único filme com os Irmãos Marx que não inclui números musicais ou bailados, o que torna mais insólita a inclusão no elenco de uma jovem Ann Miller. Por outro lado, embora em destaque no genérico, Lucille Ball interpreta um ligeiro papel periférico, tendo a propósito comentado Groucho: «Ela nem sequer é uma comediante, não passa de uma actriz. E há diferença. Pessoalmente, nunca lhe achei muita graça. Precisa sempre de se fazer apoiar num texto, pois ser espontânea é algo que lhe falta!»
O humor exuberante, a desvairada extroversão dos Irmãos Marx, dominam assim Um Criado ao Seu Dispor, como sátira ao meio teatral, suas engrenagens negociais e estratégias artísticas. Apenas com suporte em breves exteriores, a rodagem decorreu praticamente em estúdio, aliás vandalizado pelo talento impetuoso, recorrente de Chico, Harpo e Groucho Marx. Fantasistas, absurdos, por vezes grosseiros e sempre diletantes, inigualáveis pelo estilo gesticulatório, na mímica impecável, através duma verborreia burlesca e de insinuações contundentes.
Escroqueria, corrupção, espertezas, vigarices, sobressaem através de peripécias irresistíveis, de um diálogo extravagante, sublimando a farsa delirante em paralelo ao contexto sentimental que preconiza uma prestação prestigiosa, pelas habituais vedetas convidadas - cabendo, ainda, destacar Frank Albertson. Em 1949, a RKO produziu Amor, Música e Sarilhos com realização de Tim Whelan - uma remake de Um Criado ao Seu Dispor já ao estilo musical, sendo primeiras figuras Frank Sinatra e Adolphe Menjou. Nada, porém, que se compare à primordial modernidade que os Irmãos Marx celebraram - pela feroz cumplicidade de uma espectacular carga histriónica.

MEMÓRiA

1924-FEV2008 - Maria Alice da Silva Jorge, aliás Alice Jorge: Pintora, gravadora e ceramista portuguesa, entre os fundadores da Cooperativa Árvore (anos ’50) - «Uma mulher extraordinária, não apenas pelos seus altos méritos artísticos e pedagógicos, mas também pela coerência e dignidade com que, antes e depois do 25 de Abril, sempre se envolveu em grandes causas humanas e políticas, e defendeu os valores da liberdade e da democracia» (Público - 2008).

29FEV1908-2001 - Balthasar Klossowski de Rola, aliás Balthus: Artista plástico polaco-francês - «Vejo a adolescência como um símbolo. Não conseguiria pintar uma mulher. A beleza da adolescência é mais interessante. A adolescência encarna o futuro: um ser antes de se transformar em beleza perfeita. Uma mulher já encontrou o seu lugar no mundo, uma adolescente não. O corpo de uma mulher está completo. O mistério desapareceu». IMAG.168

BREVIÁRiO

Verbo edita O Modernismo de Carlos Reis e António Apolinário Lourenço.
Sony Music edita em CD e DVD, Dois Amigos - Um Século de Música de Caetano Veloso e Gilberto Gil. IMAG.11-166-180-478

Dom Quixote edita Uma Outra Memória de Manuel Alegre. IMAG.66-205-276-314-337-366-377-560-603-611

E-Primatur edita Nos Mares do Fim do Mundo de Bernardo Santareno (1920-1980). IMAG.155-169-288-635

Caroline edita em CD, sob chancela Rekords Rekords, Post Pop Depression de Iggy Pop.

Porto Editora lança Letra Aberta de Herberto Helder (1930-2015). 
IMAG.221-245-325-440-487-504-519-562-597-614

INCM/Imprensa Nacional - Casa da Moeda edita Relance da Alma Japonesa de Wenceslao de Moraes (1854-1929). IMAG.5-16-32-49-101-233-468

EXTRAORDINÁRiO

OS SOBRENATURAIS - Folhetim Aperiódico

MAL TORNA AO CRIADOR QUEM, SUJEITO, SE REFAZ - 5

Não houve uma transferência sexual, ou sua mistificação. Só que uma neutra sobreposição de máscaras, masculina e feminina, distorceu as matrizes essenciais de Joel e Ofélia. Desabrida, funesto.
Foi uma orgia depravada que estarreceu tudo e todos, até frequentadores e engajadores habituais num lagar sórdido de sangue e gozo como a Pensão Alegria, lá para as bandas de Almirante Reis. Quem testemunhou, prestes ao atolar-se a escandaleira entre a moral pública e um muro de silêncio, falou num cio ancestral em que se entrechocam vícios e virtudes.
Continua

sábado, fevereiro 11, 2017

IMAGINÁRiO #647

José de Matos-Cruz | 16 Fevereiro 2018 | Edição Kafre | Ano XV – Semanal – Fundado em 2004

PRONTUÁRiO

PROSPECÇÕES
O que parecia impossível, acabaria por acontecer. Tendo assumido momentos de glória e de malogro no Universo DC, Superman testemunhou, em 2001, o seu pior pesadelo: Lex Luthor foi eleito Presidente dos Estados Unidos! Para tal, a campanha de Luthor saturou os media com toda a espécie de notícias em prol do novo Chefe do Executivo. Mas, em Superman: President Luthor Secret Files & Origins, muitos e chocantes eventos dos bastidores políticos, de que o grande público nunca teve conhecimento, e suas repercussões intoleráveis, chegaram finalmente à luz do dia… Tony Harris & Ray Snyder assinaram as capas desta escaldante colectânea. Por exemplo, em The Last Temptation of Lex - com argumento de Phil Jimenez, para ilustração de Yvel Guichet - ficámos a saber como Circe, outrora ligada ao Injustice Gang, e perene adversária da Wonder Woman, visita o Homem na Casa Branca, numa sedutora tentativa de se tornar a Primeira Dama!
 IMAG.14-20-27-109-141-183-193-217-226-276-373-387-471-575-611

CALENDÁRiO

1944-27OUT2016 - João Lobo Antunes: Médico e ensaísta português - «Não sei o que nos espera, mas sei o que me preocupa: é que a medicina, empolgada pela ciência, seduzida pela tecnologia e atordoada pela burocracia, apague a sua face humana e ignore a individualidade única de cada pessoa que sofre, pois embora se inventem cada vez mais modos de tratar, não se descobriu ainda o modo de aliviar o sofrimento sem empatia ou compaixão.» (Ouvir Com Outros Olhos). IMAG.314-356-615

1947-27OUT2016 - Jaime Octávio Pires Fernandes, aliás Jaime Fernandes: Jornalista e locutor português, realizador e director de rádio, cinema e televisão - «…Grande profissional, que deixa boas memórias entre os pares e junto dos portugueses» (Marcelo Rebelo de Sousa).

28OUT-31DEZ2016 - No Entroncamento, Museu Nacional Ferroviário apresenta Nas Entre-Linhas - exposição de artes plásticas de Joana Arez.

01NOV-31DEZ2016 - No Porto, Museu Nacional de Soares dos Reis apresenta Amadeo de Souza-Cardoso (1887-1918) - sendo comissárias Raquel Henriques da Silva e Marta Soares, recriando a exposição do artista no Jardim Passos Manuel (Porto - 1916). IMAG.84-149-154-185-258-279-434-476-510-561-583-634

02NOV2016 - Em Lisboa, Casa da Liberdade - Mário Cesariny apresenta Evocando Mário Cesariny (1923-2006) - exposição de obras e espólio do artista pertença desta instituição. IMAG.17-19-20-29-66-123-179-430-442-475-486-505-537-582-587-641

02NOV2016 - Em Lisboa, Perve Galeria apresenta The Art Ist Present - exposição antológica de Regina Frank, sendo curador Carlos Cabral Nunes.

VISTORiA

Na desgraça, pensar em outros que são mais afectados, é o nosso maior consolo: é este o remédio eficaz ao alcance de todos.
Porém, como os carneiros, que saltam no prado, enquanto o carniceiro faz a sua escolha no meio do rebanho, assim, em nossas horas felizes, não sabemos que desastre nos prepara o destino, justamente nesse momento: enfermidade, ruína, loucura, perseguições…
Tudo o que defendemos, resiste-nos, tudo tem uma vontade hostil que é preciso vencer. A história nos diz que a vida dos povos é uma sucessão de guerras e revoltas; os anos de paz não passam de curtos entreactos. O mesmo acontece com a vida do homem, em constante luta contra as penas ou o aborrecimento, males abstractos, e contra os seus semelhantes. Em todas as partes e ocasiões temos que travar combate com um adversário.
A vida é uma guerra sem quartel, e a morte encontra-nos com as armas na mão.
Arthur Schopenhauer
- Vivemos Combatendo
VISTORiA

Retrato

Cruel como os Assírios,
Lânguido como os Persas,
Entre estrelas e círios
Cristão só nas conversas.

Árabe no sossego,
Africano no ardor;
No corpo, Grego, Grego!
Homem seja onde for.

Romano na ambição,
Oriental no ardil,
Latino na paixão,
Europeu por subtil:

Homem sou, homem só
(Pascal: «nem anjo nem bruto»):
Cristãmente, do pó
Me levanto impoluto.
Vitorino Nemésio
- Nem Toda a Noite a Vida (1952)
MEMÓRiA

1895-17FEV1998 - Ernst Jünger: Escritor e filósofo alemão - «Desterrado é aquele que possui uma relação originária com a liberdade, que se exterioriza, de um ponto de vista da época, na resistência que opõe ao automatismo e de que
não tenciona tirar a sua consequência ética, o fatalismo.» (O Passo da Floresta). IMAG.508

1922-18FEV2008 - Alain Robbe-Grillet: Escritor e cineasta francês - «A expressão nouveau roman é um rótulo conveniente, aplicável a todos aqueles que procuram novas formas para o romance, formas capazes de expressar (ou de criar) novas relações entre o homem e o mundo, a todos aqueles decididos a inventar o romance, em outras palavras, a inventar o homem». IMAG.188-192-383

1901-20FEV1978 - Vitorino Nemésio Mendes Pinheiro da Silva, aliás Vitorino Nemésio: Escritor português, natural dos Açores - «Como homens, estamos soldados historicamente ao povo de onde viemos e enraizados pelo habitat a uns montes de lava que soltam da própria entranha uma substância que nos penetra. A geografia, para nós, vale outro tanto como a história, e não é debalde que as nossas recordações escritas inserem uns cinquenta por cento de relatos de sismos e enchentes. Como as sereias temos uma dupla natureza: somos de carne e pedra. Os nossos ossos mergulham no mar» (1932). IMAG.167-255-307-351-411-530

22FEV1788-1860 - Arthur Schopenhauer: Filósofo alemão - «O laço formado com inconstância pela criação é desfeito pela morte, sendo a penosa aniquilação o principal erro do nosso ser; o grande desengano». IMAG.125-167-295

22FEV1908-2005 - John Mills: Actor inglês - «Há sempre um grande calor das pessoas em relação a mim, diria mesmo amor. Talvez seja pela minha veterania, e odiaria ficar sem isso». IMAG.36

PARLATÓRiO

Entre a literatura e o cinema existe a mesma antinomia que entre uma frase e um objecto. É por isso que eu não adapto os meus romances ao ecrã, nem escrevo livros a partir dos meus filmes: por vezes publico, sob o nome de cine-romance, o guião técnico de um filme ou a sua planificação. Uma descrição literária não funciona, de modo algum, como um imaginário. Até mesmo a frase escrita que se coloca na boca da personagem romanesca, não pode comparar-se à réplica dita por um actor. Escrever um romance é, para mim, um labor difícil e lento. Redigir um argumento, pelo contrário, não me causa qualquer problema de escrita; faço-o rapidamente, poupando uma grande parte à imaginação sobre os próprios locais de filmagens. Rodo um filme em quatro ou seis semanas. Em contrapartida, demoro seis meses a trabalhar na montagem. Finalmente, existe também uma enorme diferença entre o escritor a sós com uma página branca, e o realizador de um filme que dirige uma equipa artística e técnica, e que deverá lutar contra a rigidez das pessoas e dos cenários, fazendo-os participar o mais possível na criação colectiva.
Alain Robbe-Grillet

BREVIÁRiO

Dom Quixote edita
Não Acordem os Pardais de Nuno Camarneiro (história) e Rosário Pinheiro (ilustração).

Harmonia Mundi edita em CD, Enrique Granados [1867-1916] & [Joaquín] Turina [1882-1949]: Piano Quintets por Javier Perianes, com Cuarteto Quiroga. IMAG.362-556-561
Relógio D’Água edita Gratidão de Oliver Sacks (1933-2015); tradução de Miguel Serras Pereira. IMAG.388-581

VGM edita em CD, sob chancela Alia Vox, Ludwig van Beethoven [1770-1827]: Sinfonia «Eroica» por Le Concert des Nations, sob a direcção de Jordi Saval. 
IMAG.134-163-202-204-210-228-229-236-237-239-255-268-285-298-303-323-360-375-384-409-430-431-432-436-442-445-452-458-481-502-529-581-604-605-635

EXTRAORDINÁR
iO

OS SOBRENATURAIS - Folhetim Aperiódico

MAL TORNA AO CRIADOR QUEM, SUJEITO, SE REFAZ
- 4

Sentado numa das primeiras filas da Plateia, Joel ficou varado. Nada mais via ou ouvira e, concluída a sessão, ainda no foyer, colou-se à div’amante de Galhardo com assanhada ansiedade. Ora, ela nunca se mostrou capaz de resistir a uma farda, quanto mais solene…
Continua