sábado, maio 26, 2018

IMAGINÁRiO #717

José de Matos-Cruz | 01 Abril 2019 | Edição Kafre | Ano XVI – Semanal – Fundado em 2004

PRONTUÁRiO

SINTOMAS
Aquilo que parecia impossível, estará mesmo a acontecer? É verdade! Superboy corre o risco de enfrentar um perigo pior que o mais perverso inimigo, e que provém de ele próprio: sente-se cada vez mais aborrecido e desleixado… Esta novidade surgiu na revista Superboy #83 (2002), com os então artistas responsáveis: o argumentista Joe Kelly (lembrar Steampunk) e o ilustrador Pascual Ferry (Warlock) juntaram-se ao habitual colorista Keith Champagne, reservando para o Kid ainda mais surpresas, em que a acção é matizada pelo humor. Atravessando uma crise de adolescência, Superboy começa a fartar-se com as circunstâncias que o converteram num prodígio do Universo DC, e em que considerava fora de moda o que tinha acontecido cinco minutos antes. Preocupado com tais sintomas, Superboy aconselha-se com alguns amigos - como Superman, Steel e outros jovens heróis da Young Justice. Por fim, disposto a tomar medidas drásticas, Kid faz mesmo a sua autocrítica, acabando por concluir que, para ultrapassar qualquer problema de identidade, o melhor é cuidar mais do seu aspecto exterior!IMAG.183

CALENDÁRiO

1932-01MAR2018 - Artur Costa Correia, aliás Artur Correia: Artista português de banda desenhada e de cinema de animação - «Desenhador notável, de traço simples e gentil, os seus filmes fazem parte do imaginário de uma geração» (Cinemateca Portuguesa). IMAG.17-92-128-256-278-312-365-409

02MAR-30SET2018 - Em Lisboa, Teatro Nacional D. Maria II apresenta Amélia (Rey Colaço - 1898-1990) - exposição de fotografia e objectos, sendo comissários Cláudia Madeira, Filipe Figueiredo e Teresa Flores.
IMAG.107-169-194-307-328-339-400-434-534-635-649-673-698

08MAR-27MAI2018 - Em Lisboa, Fundação Arpad Szènes-Vieira da Silva apresenta, no Museu, Urbe - exposição de desenho de Pedro Gomes. IMAG.292 
 
VISTORiA

Voz

Voz modelada na certeza irreal
da montanha que respira o húmus do vento,
espalha as sementes vegetais do sal,
nos lagos da terra, único alimento!

E os lagos se vestem de ondas que assaltam
a parede lisa deste quarto fechado:
a abóboda celeste que os anjos asfaltam
dum visgo babado…
Alexandre Pinheiro Torres

Vigília

No panorama de frio
jazia cristalizado o voo dos gaviões.

Ao seu encontro ia fremente
o respirar da terra quente quase adormecida.

Fluía um riso irónico das dentaduras alvas da neblina
para bocas de ouvidos,
olhos de bocas.

Surgiu então coberto de silêncio
o homem que desde sempre morrera trucidado.

O seu sangue caía enquanto andava.
Das gotas pelo chão se levantaram logo as árvores de fogo
dentro em pouco a floresta incendiária
de todo o frio que o chamava.

E antes que soprasse a ventania
a borboleta colorida foi queimada.

Mas antes que o sol humidamente
repousasse num clarão de olhos fechados,
as cinzas de pirâmides se espalhavam
indo ferir o enorme olho esbugalhado
que de aquém fitava um espaço maior!
Edmundo de Bettencourt
- Poemas Surdos

VISTORiA

A educada presteza com que alguém recebe dinheiro é realmente maravilhosa, considerando que tão gravemente acreditamos que o dinheiro é a raiz de todos os males terrenos e que em hipótese nenhuma um homem endinheirado entrará no paraíso. Ah! Com que alegria nos despachamos para a perdição!
Herman Melville
- Moby Dick (excerto)

Traz Outro Amigo Também

Amigo
Maior que o pensamento
Por essa estrada amigo vem
Não percas tempo que o vento
É meu amigo também

Em terras
Em todas as fronteiras
Seja benvindo quem vier por bem
Se alguém houver que não queira
Trá-lo contigo também

Aqueles
Aqueles que ficaram
(Em toda a parte todo o mundo tem)
Em sonhos me visitaram
Traz outro amigo também
José Afonso

MEMÓRiA

01AGO1819-1891 - Herman Melville: Ficcionista, poeta e ensaísta americano - «Uma parte indispensável do trabalho de copista reside, precisamente, em verificar a exactidão da cópia que faz, palavra a palavra. Quando existem dois ou mais, ajudam-se mutuamente nesse exame, um lendo a cópia e o outro seguindo o original. É um trabalho aborrecido, enfadonho e entorpecedor. Imagina-se facilmente quão intolerável será para um temperamento sanguíneo.» (Bartleby - excerto). IMAG.59-339-340-551-578-590

1936-01AGO2009 - Manuel António dos Santos Lourenço, aliás M.S. Lourenço: Escritor português, poeta, filósofo, professor e tradutor - «Pois bem, nada mudou, nem um grão. / Ainda vamos, pela manhã, olhar o caminho / Da janela alta da casa. Nada, nem um traço.» IMAG.264-294-562

02AGO1939-2015 - Wesley Earl Craven, aliás Wes Craven: Cineasta americano, realizador, argumentista, produtor e actor - «Às vezes, interrogo-me se gostaria de granjear um grande reconhecimento. Depois, lembro-me dos impressionistas franceses, que receavam não poder ousar, caso fossem membros de uma academia… O que não me agradaria mesmo nada». IMAG.341-582

1923-03AGO1999 - Alexandre Pinheiro Torres: Escritor português - «No fundo, era um homem extremamente bondoso e um incansável trabalhador. A sua biblioteca pessoal era gigantesca, trepando pelas paredes da sua casa e invadindo, com eloquência, as do seu gabinete de trabalho: livros obviamente lidos, com voracidade e penetração» (Eugénio Lisboa). IMAG.237-440-655

02AGO1929-1987 - José Manuel Cerqueira Afonso dos Santos, aliás José Afonso: Cantor e compositor português - «O que mais me prende à vida / Não é amor de ninguém. / É que a morte de esquecida / Deixa o mal e leva o bem.» (Trovas Antigas - excerto).  
IMAG.6-119-170-237-269-328-421-422-427-599-681

1914-05AGO2009 - Seymour Wilson Schulberg, aliás Budd Schulberg: Escritor e argumentista de cinema, distinguido com o Oscar por Há Lodo No Cais (1954) - «Viver de um modo consciente é como conduzir um automóvel com falhas dos travões… O silêncio é o sinal mais evidente de que estamos no caminho certo para sobreviver em Hollywood». IMAG.205-265-460

06AGO1809-1892 - Alfred Tennyson: Poeta inglês, autor de Crossing the Bar - «Ainda que muito esteja perdido, muito nos resta; e ainda que perdida a força dos velhos dias, que movia céus e terras. Somos o que somos; uma coragem única nos corações heróicos, débeis pelo tempo e pelo destino, mas persistentes em lutar, achar, buscar e jamais nos rendermos». IMAG.389

07AGO1899-1973 - Edmundo de Bettencourt: Poeta e cantor português - «Mistérios a pouco e pouco vão morrendo / e extenuados de vigília os anjos / são afinal as sussurrantes sibilinas vozes / que desvendam adivinham segredos / atrás de sentinelas / cuja ferocidade é uma ironia de ternura… / Na palidez da luz / cercando uma velha cabeça / a quem um sono de embrião já tolda os olhos / sorriem enigmáticos os sonhos.» (O Segredo e o Mistério). IMAG.175-237-405-513

07AGO1919-2014 - Abel Caetano Escoto, aliás Abel Escoto: Cineasta português, realizador e director de fotografia de Os Toiros de Mary Foster (1972 - Henrique Campos) - «expondo em 70 mm um imaginário de adversidades e coragem» (José de Matos-Cruz). IMAG.534

1933-07AGO2009 - Mike Seeger: Compositor e músico americano de folk - «Gravou e ajudou a produzir dezenas de álbuns daquilo a que chamava a verdadeira música americana, uma mistura das tradições britânica e africana com o jeito de contar histórias com raízes no sul» (The New York Times). IMAG.265-430

INVENTÁRiO

Artur Correia

Atraído para o desenho pela banda-desenhada, levado para o cinema de animação por influência, muito jovem, do cinema clássico da Disney, tinha no humor, na História e nos contos tradicionais portugueses as suas grandes motivações criativas.
02MAR2018 - Público / Lusa

BREVIÁRiO

Temas e Debates edita Sermão da Sexagésima e da Quaresma do Padre António Vieira (1608-1697); coordenação de Aida Lemos e Micaela Ramon.
IMAG.118-139-165-191-215-226-237-241-295-494-553-566-619-645
 

Sem comentários:

Enviar um comentário